Home

Lourenço Mutarelli, autor do recém lançado Nada me faltará, pela Companhia das Letras é um caso raro no panorama das artes brasileira. No mercado editorial dos anos 80, ele era uma espécie de peixe fora d’água. Seu trabalho corria paralelo ao do mercado nacional que tinha como maiores expoentes Angeli, Glauco e Laerte. Publicou seu primeiro zine em 1988, na sequência fez algumas participações em revistas como a Animal e trabalhou nos estúdios Maurício de Souza. Em 1991, publica seu primeiro álbum em quadrinhos, o que era um grande feito para um desenhista pouco conhecido. Em Transusbstanciação, Mutarelli enche páginas de personagens e situações expressionistas ao extremo, com um visual excessivo e roteiros cheios de angústia onde já se pode identificar um senso de humor estranho. No final dessa fase ficaria mais conhecido pelas HQs da personagem Diógenes, em uma trilogia de quatro partes (!).

Decidiu, então, parar de fazer quadrinhos e, assim, avança a passos largos pela literatura, teatro e cinema. Em defesa de uma arte mais imaginativa e instigante, uma expressão mais nova, segundo o próprio Mutarelli, ele abandona um território onde estava estabelecido e já de início faz sucesso; seu romance de estréia O Cheiro do Ralo, de 2002, foi adaptado, com roteiro de Marçal Aquino e direção de Heitor Dhalia, com sucesso para o cinema em 2006.

Na sequência, escreve Natimorto (2004), A caixa de Areia (2007), A arte de produzir efeito sem causa (2008), Miguel e os demônios (2009) e o mais recente Nada me faltará (2010). Mestre dos diálogos enxutos e desconcertantes, Mutarelli se utiliza de sua experiência como quadrinista para produzir narrativas ao mesmo tempo próximas e distantes da arte sequencial. Sua capacidade de criar imagens com textos curtos e objetivos é impressionante. Dono de um texto rico, intenso, denso e ao mesmo tempo leve o valor estético de sua obra é capaz de impressionar mesmo aos menos atentos e o rapto que ele faz do leitor o coloca em outro patamar. Um dos mais expressivos, mas nem tão novo, expoente da literatura nacional.

Ao ler Nada me faltará entramos em contato com uma experiência artística que une a literatura e a arte sequencial. Sem nenhuma imagem o que aproxima seu mais recente romance da arte sequencial são os diálogos.

Outra experiência minimalista de Mutarelli; em A arte de produzir efeito sem causa já havia inovado o modo narrativo interseccionando narrador e personagem ao construir um objeto artístico em forma de livro que une a arte narrativa a sua impressionante capacidade de produzir imagens através de figuras não diretamente identificáveis, mas que nada ficam a dever às artes plásticas. Ao interseccionar essas manifestações artísticas Mutarelli se coloca definitivamente em patamar acima daqueles em que estão alguns dos maiores nomes da literatura nacional e abre espaço em território nem sempre acolhedor.

Nada me faltará não nos oferece nenhum desenho, nenhuma figura além das que encontramos nas quatro capas, tudo deve ser criado na imaginação do leitor. A história nos é oferecida apenas por diálogos. Apenas diálogos contam a história de Paulo que reaparece depois de estar, junto com a mulher e a filha, sumido por um ano.

Paulo reaparece sozinho e tentamos desvendar sua história [o mais interessante seria denvendá-lo] através dos diálogos que o cercam ou de que participa. Não há nenhuma intervenção narrativa além de diálogos. E diferente do que ocorre em Werther, de Goethe, não conhecemos a história pelos olhos da alma da personagem, mas por olhos sempre externos à personagem, e consequentemente à sua alma, ou àquele que julgamos ser a personagem desse interessantíssimo romance de Mutarelli.

Anúncios

Um pensamento em “Novo Mutarelli: Nada me faltará

  1. Milton, nunca vou esquecer o dia em que eu te vi segurando ” a arte de produzir efeito” lá no Band quando eu achava que ninguem mais que eu conhecia lia obras do Mutarelli. A cada dia e a cada livro que leio dele gosto ainda mais. Tive o prazer de o ver encenando uma peça na FLIP, comovente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s